quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Questão

Cai a noite.
Tombam corpos na
Inércia,
morro aos poucos...

Ausento-me de tudo
e distancio
do que ao mundo
represento.

Desperto!
Mergulho no vazio,
liberta
no abandono

E vejo
o ser exposto
ao avesso
que me despi.

E de espanto,
pois recordo do
que estou
adormecida
no tempo

Pergunto:

O que sou,
senão
essa questão
que me
persegue?

Maris.

5 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

O que somos? Interrogações, reticências, sabe-se lá...
Beijo

"A Moça que Sonha: A Louca." disse...

Bom...Doído...eu gostei.

bruno disse...

Interessante a voz de quem fala. Gostei!

Giu Missel disse...

A eterna questão...
saudade de ti Maris.

Lucas de Oliveira disse...

Lindo. É um dos que eu mais gosto.