quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Sorria...

Algumas lágrimas são doces, quando provocadas por emoções sublimes.

Pesadas são as de dor, daquelas que doem tanto, que incham em volta dos olhos...Transfornmam a face. Porque chegam com força e não querem parar. Porque o sal delas todas a correr rosto abaixo, danifica a pele, provoca inchaço.

Mas, lágrimas são lágrimas. Pior, são as que engolimos...As que não nos permitimos sair da fonte. O nó na garganta também dói. E as que choramos em silêncio, por vergonha ou medo de que nos julguem fracos...E [quem] é deveras forte na hora do choro?

-Qual o choro que não chora na hora da dor, ainda que silenciosamente, por vergonha ou não?

-Qual lágrima não corre, mesmo sendo dos olhos para dentro? Ou de "riso" afora?

Já vi risos que choravam, disfarçados...Querendo impor uma fortaleza, que só os egoístas não percebiam, preocupados demais em que fossem agradados, bem recebidos. Porque também a dor dos "outros", incomoda á quem veio rir. Assim como nos sentimos incomodados de chegar sorrindo, onde alguém está chorando.

Eu coloco a "bóia" dissimulada, que seja, para emergir do lago do pranto, se alguém me chegar sorrindo.


Ao entrar aqui, sorria!

Sua alma está sendo filmada!


Rosana Lazzar

4 comentários:

Giu Missel disse...

medo.

Ingrid Regina disse...

rir chorando e chorar sorrindo.
exercicio de alma!

Gostei da poética do texto.

Alexandre Spinelli disse...

UAU!!! Bom... lágrimas pra dentro, riso pra fora... gostei bastante!

Malu disse...

Adorei, Seqüeladim Mor. Super impar!

Eu coloco a "bóia" dissimulada, que seja, para emergir do lago do pranto, se alguém me chegar sorrindo.

VERSO MATADOR!