sábado, 24 de janeiro de 2009

Do meu diálogo claustrofóbico

Enfrentar os medos, foi isso que o psicoterapeuta disse. A escada seria uma boa alternativa, mas não: Enfrentar os medos. O suor gela a testa; os meus tiques se revelam; as luzes passam de um andar para outro...
- Agora: entra. - A porta se fecha, as paredes também.
- Conta: 1, 2, 3, 4.
- Conta: 1, 2, 3, 4.
- Inspira, expira, inspira, expira.
Sétimo andar, oitavo, nono...
- Calma. Décimo.
- Fora.
O doce cheiro dos corredores.

Alexandre Cruzeiro.

3 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

Impossível conter o sorriso ao final... um sorriso aliviado eu diria... com uma respiração funda, por ter saído das paredes fechadas...
Muito bom... abraço!

Giu Missel disse...

Ale, este tá demais. Tive que escolher entre tantos bons teus, para esta primeira postagem. Eu escolhi este pela leveza e pelo tema.
Li sem fôlego. Mto bom mesmo.

Bjo.

Lucas de Oliveira disse...

Muito bom! Eu também odeio paredes...