sexta-feira, 27 de março de 2009

A Lira

Taís era sempre fiel
Brisa escapou pelo ar
Nayara fugiu à Bahia
Kalliny chegou pra ficar

Jane dançava um Alceu
Vitória acabou de chegar
Chris encontrou-se com Deus
E sei que não posso voltar

Bruna era carpe diem
Com Endie eu ia casar
Laurinha beijei uma vez
Maria não pude beijar

A vizinha eu nunca agarrei
O pai não iria deixar
Era grave pastor do Rei
E a filha princesa do mar

Joana eu quis mas nem sei
Das carecas eu gosto mais
Ayla é minha até que
As amigas cheguem no bar

Thiago eu até afaguei
Roberto tentei beijar
Túlio até me comeu
E pedro só quer farrear

Luana foi a tal que beijei
Antes de saber beijar
E com Kelsei foi que aprendi
Que todo amor bom é fugaz

Para Andressa eu me entreguei
Antes de saber me entregar
E com Andressa um mundo criei
E sem ela vi ele acabar

Nah é a amiga do peito
Com ela eu posso chorar
Basílio, um safado sem jeito
Me vê e já quer me agarrar

Marina foi só outra vez
E eu tava doidim de lascar
Cidão não a deixa esquecer
Se alguém começa a lembrar

Com Isis fui frouxo sim
Perdão, não soube te amar
Com Lydia é assim assim
Gosto e não posso gostar

Kilma é que foi o meu fim
Beijou e disse: nunca mais
Era só um gostinho de mim
Pro teu paladar de rapaz

E de tanto amor nessa lira
A quadrilha vive a rodar
Como uma ciranda na ilha
Como um Deus pairando no ar

Mas Isabel é a maligna
Só ela me fez chorar
Só ela viu meu pranto
E foi sem olhar pra traz

É Isabel quem me faz sofrer
É Isabel quem me faz cantar
E cada linha de verso meu
Cada linha de verso será

Como cada amor dessa lira
Cada amor deixou-se amar
Para que eu ame a menina
Que parte ao me ver chorar

Amém

Diogo Testa

Um comentário:

Afobório. disse...

olá.

tá aí, gostei.
acho que enquanto pessoas somos mesmo transeuntes.

sorte e luz.