domingo, 8 de fevereiro de 2009

SE PERMITE

Se permite, eu mudo o verso
que o compasso me alumia
quero volta, um regresso
ver-te em tudo, como via

em teu colo fazer berço
ter seus olhos como guia
esquecer de todo resto
ai meu deus, como queria

Se permite, eu mudo o verso
que o compasso me alumia
quero volta, um regresso
ver-te em tudo, como via

em escuridão tão submerso
vem de novo ser meu dia
da minha vida, ser sucesso
ai meu deus, como queria

Se permite, eu mudo o verso
que o compasso me alumia
quero volta, um regresso
ver-te em tudo, como via

ai meu deus, como te peço
traz pra mim tal alegria
eu te rogo por regresso
ai meu deus, como queria

Se permite, eu mudo o verso
que o compasso me alumia
quero volta, um regresso
ver-te em tudo, como via

Onzemesmo

2 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

Mais que poesia, é uma canção... para mim, pelo menos, soou com melodia...
Parabéns, meu caro...

Giu Missel disse...

Sonoridade linda, como o Ale bem citou.