sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Confusão

Era quase um uivo aquele lamento. Prece chorosa de um descontentamento.
O incômodo, o desconforto de um coração que bate "meio morto" num peito cansado de caminhar por essa trilha, que nada mais é pois, que os dolorosos caminhos do amor...e este, de tudo nos faz fazer.
Choramos, sorrimos...tropeçamos em tudo, até em palavras.
Erramos, padecemos, sofremos.
É pois, faca que rasga corpo e faz fendas na alma. Caminho penoso é o que é...e, se não for assim, [amor] é que não é
....Era mais que um um simples uivo...prece triste em agonia, do mais duro desencanto, bem mais que um lamento, era.
Quase vergonhoso pranto, debatendo-se em teimosia...a de insistir no amar. Amar...[gurado] sentir, ruím e bom de existir. Pensava que feliz eu era, mas infeliz, me fizera...e, se era, por que não sou?
Porque o amor é assim: Não veio explicar, não é fácil de entender...e é rápido em confundir.
Agora chora peito. Porque é seu esse direito.
Padece, criatura. Porque a cana é doce, mas é dura!

Rosana Lazzar.

2 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

Rosana... dá um desconforto te ler, de vez em quando... e isto é bom... meio angustiante... sinal de encontrou eco lá dentro... te faço uma correção, se me permites: tu não tropeças em palavras, não... elas fluem e quase afogam quem lê...
Beijo

Giu Missel disse...

"Agora chora peito. Porque é seu esse direito."

Linda Prosa...