quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Papel

A vida é papel
Pelo menos a minha
Nasci em uma folha
E vou morrer em outra

È tudo inútil, veja bem:

Minha identidade
Não me identifica
Meu passaporte
Não me transporta
E minhas notas !
Essas sempre se vão tão precoces

O apocalipse é uma tesoura !
E o paraíso é a imensa fogueira
Da hipocrisia humana.

Daniel.

7 comentários:

Augusto Cerberus disse...

O apocalipse é uma tesoura !
E o paraíso é a imensa fogueira
Da hipocrisia humana.

Foda

Malu disse...

Não suporto a hipocrisia. Bacana o poema. Gosti!

Ingrid Regina disse...

papel...

que minha vida não seja queimada, como loucos queimam grana, que é só papel...


gosto disso de comparações, daniel sempre usa e o faz bem.

parabéns.

...^^... TaTi - Um Pedacim ...^^... disse...

... Muito Bom os versos, a transcrição tão exata e muito bem poetizada do que se vê e vive...

Gostei.:

"Minha identidade
Não me identifica
Meu passaporte
Não me transporta"

Muito bacana mesmo.

Lucas de Oliveira disse...

que foda!

Alexandre Spinelli disse...

Daniel, que bom este poema!
Parabéns!

Luiza disse...

Maravilhoso...