quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Papel

A vida é papel
Pelo menos a minha
Nasci em uma folha
E vou morrer em outra

È tudo inútil, veja bem:

Minha identidade
Não me identifica
Meu passaporte
Não me transporta
E minhas notas !
Essas sempre se vão tão precoces

O apocalipse é uma tesoura !
E o paraíso é a imensa fogueira
Da hipocrisia humana.

Daniel.

7 comentários:

Augusto Cerberus disse...

O apocalipse é uma tesoura !
E o paraíso é a imensa fogueira
Da hipocrisia humana.

Foda

Malu disse...

Não suporto a hipocrisia. Bacana o poema. Gosti!

Ingrid Regina disse...

papel...

que minha vida não seja queimada, como loucos queimam grana, que é só papel...


gosto disso de comparações, daniel sempre usa e o faz bem.

parabéns.

...^^... TaTi - Um Pedacim ...^^... disse...

... Muito Bom os versos, a transcrição tão exata e muito bem poetizada do que se vê e vive...

Gostei.:

"Minha identidade
Não me identifica
Meu passaporte
Não me transporta"

Muito bacana mesmo.

Anônimo disse...

que foda!

Alexandre Spinelli disse...

Daniel, que bom este poema!
Parabéns!

Luiza disse...

Maravilhoso...