sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

De Quebra

Se há algo que posso dizer ter aprendido na vida, afirmo:
- Escrever foi que não é.

Vejo aqueles que escrevem de alma em alma, pelas gramáticas, pelas rimas, pela literatura, pela língua, pelo amor, pondo de linha em linha as cores de Machado e de Vinicius e de outros tantos. E esses são sábios, e sabem escrever.
Eu ainda não sei o que me falha; se é a má escrita ou a falta de oralidade.
Percebo isso a cada carta de amor mal recebida (ou talvez, nem lida), mas o caso é que por depender de palavras meu benê se torna improvavelmente meu.
É triste pensar, mas não consigo prender-te ou convencer-te por depender de palavras.
Acabo que escrevo mesmo só por acarinhar as letras, movimentar os pulsos...

Se há algo que posso dizer ter aprendido na vida, afirmo:
- Escrever é que não foi.


Ingrid Regina

5 comentários:

O Barraco disse...

Vc tem razão, vc não escreve...você decora, pinta e borda.
com todas as suas cores e linhas e há há(s)
*.*
bjo

...^^... TaTi - Um Pedacim ...^^... disse...

"Escrever é que não foi"

Não escreves, és a palavra, a poesia e o fascinio.

.

Ingrid Regina disse...

ah, meu deus, assim eu vou acreditar
hihihi
Obrigada meninas.
Eu gosto muito desse texto pela ocasião em que foi feito, foi tipo estréia de Barraco, lembra Giu? hihihihi

Alexandre Spinelli disse...

Guigaa... sua mentirosa!!!
Continue não escrevendo, por favor, só acarinhando as palavras...
Beijo...

"A Moça que Sonha: A Louca." disse...

Não tem autor esse?

Bom...e anônimo...

Bjo